PRF inicia Operação Motovida na Grande Florianópolis

A Polícia Rodoviária Federal iniciou hoje (02/03/2020) a Operação Motovida na Grande Florianópolis. As ações foram direcionadas para a BR 282, a conhecida Via Expressa. A operação tem como foco a BR 101 e a BR 282, nos trechos que cortam a região da capital. A operação se estenderá até o final do ano de 2020, mas sofrerá avaliações bimestrais. O objetivo da operação é reduzir os acidentes envolvendo motos. A operação terá ações de fiscalização, melhoria da sinalização e educação para o trânsito.

Em duas horas de fiscalização os policiais abordaram várias motos, sendo que 15 ficaram retidas e foram lavrados 17 autos de infração. Além da fiscalização, os policiais orientaram 224 motociclistas sobre cuidados ao dirigir uma moto e também foi instalado, gratuitamente, pelos funcionários da Autopista Litoral Sul, antena corta-pipa nas motos.

Um estudo nacional da PRF analisando os acidentes, feridos e mortos nas rodovias federais mostrou que a grande Florianópolis tem os dois trechos de 10 km mais perigosos do Brasil e outros dois que ocupam o 18º e o 22º lugar:
1º lugar: BR 101, do km 200 ao 210 (São José);
2º lugar: BR 101, do km 210 (São José) e 220 (Palhoça);
18º lugar: BR 101, do km 190 (Biguaçu) ao 200 (São José)
22º lugar: BR 282, do km 0 (Florianópolis) ao km 6 (São José)

BR 101
Uma análise dos acidentes ocorridos na BR 101 entre os km 190 (Biguaçu) e 220 (Palhoça) no ano de 2019 revela que as motos tiveram grande participação nos acidentes ocorridos neste trecho:
Dos 1.303 acidentes, em 835 deles havia motos envolvidas (64%)
Dos 1.413 feridos, 934 eram ocupantes de motos (66%)
Dos 29 mortos, 9 eram ocupantes de motos (31%)

BR 282 (Via Expressa)
Uma análise dos acidentes ocorridos na BR 282 (Via Expressa) entre os km 0 (Florianópolis) e 6 (São José) no ano de 2019 revela que as motos tiveram grande participação nas ocorrências:
Dos 218 acidentes, em 167 deles havia motos envolvidas (76%)
Dos 231 feridos, 194 eram ocupantes de motos (84%)
Dos 4 mortos, 3 eram ocupantes de motos (75%)

Verifica-se, assim, que os motociclistas são vítimas potenciais de acidentes de trânsito, causados por condutas irregulares de pedestres, de outros motoristas e dos próprios motociclistas. Independente da culpa pelo acidente, os motociclistas são a parte frágil do sistema e, normalmente, sofrem lesões.

A PRF realizará algumas ações de fiscalização com o objetivo de reduzir os acidentes com motos. Estas ações envolvem não somente motos, mas também outros tipos de veículos:

a) Os veículos lentos devem transitar pela faixa da direita. A sinalização neste sentido será reforçada e os veículos que desobedecerem a regulamentação serão autuados.

b) Todos os veículos devem sinalizar quando forem realizar mudança de faixa, porque esta é uma das causas de acidentes com motos.

c) Todos os veículos devem transitar com o farol aceso nas rodovias, inclusive de dia.

d) Os motociclistas deverão usar capacete afivelado e com a viseira fechada.

e) O transporte de crianças menores de 7 anos é proibido nas motos.

f) A circulação pelo corredor só poderá ocorrer quando o trânsito estiver congestionado, ou seja, muito lento ou parado, e houver condições de segurança para o motociclista transitar pelo corredor em velocidade compatível com a situação.

g) A ultrapassagem pelo acostamento e pela direita (“costurando”) é proibida.

Além das ações de fiscalização, a sinalização está sendo reforçada para lembrar aos motoristas de veículos lentos que eles devem transitar pela faixa da direita.

Outra ação importante será a realização de palestras em empresas da região, com foco em orientações para motociclistas e outros motoristas, esclarecendo pontos que contribuem para a ocorrência de acidentes com motos.

O grande objetivo da Operação Motovida é reduzir acidentes envolvendo motos e, em consequência, reduzir o número de feridos e mortos.

A PRF está fazendo a sua parte, cumprindo sua missão constitucional e legal, mas a mudança de comportamento é necessária e depende de todos.